Aumento de 20% da produção energética em sistemas fotovoltaicos com uso de espelhos refletores

  • Post Category:Blog

Cientistas do Instituto de Tecnologia Nacional da Índia apresentaram um aumento de 20% da produção energética de um sistema fotovoltaico em solo, com uso de espelhos refletores, no verão.

Fonte: PV-Magazine.

Usinas solares em solo são recomendadas para regiões rurais, pois necessitam de áreas amplas e descampadas, em que não tenha sombreamento nos módulos fotovoltaicos instalados. Ainda é possível conciliar a produção animal de pequeno porte, como ovelhas por exemplo, na área da usina.

Fonte: Revista Veja

A viabilidade econômica para uso dos espelhos refletores no sistema fotovoltaico ainda é pouca, necessitando de pesquisas, mas se mostrou promissor com alta produção energética sem afetar a eficiência da produção pelo aumento da temperatura dos módulos solares, que é baixa (até 4° C).

A temperatura é um dos fatores que podem afetar a produção energética solar, visto que a eficiência de semicondutores é reduzida com aumento da temperatura, e as células solares são fabricadas de silício (Si) um semicondutor, como é apresentado no gráfico abaixo:

Fonte: Basic photovoltaic principles and methods, 1982.

No experimento realizado na Índia, foram utilizados painéis policristalinos instalados em alta altitude, onde a radiação solar era alta e a temperatura ambiente baixa (montanhas), garantindo a alta eficiência do sistema. O que pode ser aplicado nas regiões serranas do Sul do Brasil.

Pelo mundo, outras pesquisas com uso de espelhos refletores em usinas solares de solo mostraram aumento da produção energética de 20 a 30%, dependendo da estação do ano, local de instalação e tipos de refletores.

Esperamos que as pesquisas apontem uma viabilidade econômica para o uso destes refletores, bem como o ângulo de inclinação ótimo para cada região, assim podendo aumentar a produção energética solar em menor área de implantação.

Escrito pelo Engenheiro Agrícola Dr. Floriano Luiz Suszek (Doutorado pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE) e Projetista na InVolt.